Flavia Virginia

Filósofa, cantora e compositora, nasceu em Maceió em 1972 e vive em São Paulo. Após 20 anos de carreira exclusiva como cantora e compositora, onde cantou com diversos artistas nacionais e estrangeiros, Flavia Virginia passou a se dedicar à area de transmissão de conhecimento, tendo se formado em Filosofia e se especializado em Logoterapia. Além disso cuida, para as próximas gerações, do legado de música brasileira de excelência, herança do pai, Djavan

Regina Esteves

Brasileira, formada em Administração de Empresas, com MBA em Gestão Universitária, trabalhou na The Paul University (USA). Foi Pró-reitora Comunitária na Universidade São Marcos. Atuou como diretora de Projetos Especiais do Gabinete do Ministro da Educação e junto ao Conselho da Comunidade Solidária, na Presidência da República. Participou da criação do Programa Alfabetização Solidária e da fundação da Associação AlfaSol, respondendo atualmente como Diretora-Presidente. Desde 2009, responde também pela gestão do Centro Ruth Cardoso e da Comunitas – Parcerias para o Desenvolvimento Solidário, como Diretora-Presidente. Participa ainda de diversos conselhos: conselho curador Fecap, conselho Social da FIESP, conselho de Educação da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do conselho deliberativo do Guia Exame de Sustentabilidade

Rogerio Chequer

Engenheiro de produção pela Poli-USP, trabalhou em bancos de investimento no Brasil e Estados Unidos. Em 2010, mudou para o ramo de comunicação, entrando na agência SOAP e a levando aos EUA. Em 2014, foi co-criador do movimento Vem pra Rua.

Alexandre Ostrowiecki

Nascido em 1978, é administrador de empresas pela FGV com MBA em gestão no Insper e OPM pela universidade de Harvard, bem como economia pela Universidade de Jerusalém. É diretor presidente da escola filantrópica Alef Peretz, bem como da Multilaser, indústria de informática. É coautor do livro Carregando o Elefante e atua voluntariamente em diversos projetos sociais e conselhos

Renato Feder

Formou-se em Administração de Empresas pela FGV em 2000. Em 2005 concluiu Mestrado Stritu Senso em Economia pela USP. Em 2007 co-escreveu o livro Carregando o Elefante. Atualmente é Sócio e CEO da Multilaser também é CEO da Aluno 10, empresa de tecnologia educacional aplicada ao reforço escolar

Luis Felipe d`Avila

Brasileiro, é formado em ciências políticas pela Universidade Americana em Paris e tem mestrado em administração pública pela Harvard Kennedy School. Fundador do Centro de Liderança Pública e da Editora d`Avila, com títulos como as revistas República e Bravo! Membro do conselho da Laspau, Instituto Millenium e Tribunal Superior Eleitoral. Autor dos livros Dona Veridiana, Os Virtuosos e Caráter e Liderança.

 
 
 
 
 

A qualidade legislativa dos políticos é avaliada de acordo com a maneira que o parlamentar se posiciona nas principais votações do Congresso.

A pontuação de cada lei pode variar entre -30 e +30 pontos, e é definida por nosso Conselho de Avaliação de Leis. Leis boas recebem pontuação positiva; leis ruins, pontuação negativa. O valor da lei é somado à pontuação do parlamentar, de acordo com a maneira com que ele votou.

Nosso Conselho de Avaliação de Leis é totalmente independente, e composto por profissionais com reconhecida capacidade analítica e boa reputação no mercado, com formação em áreas como Economia, Engenharia e Administração.

Os Conselheiros procuram avaliar as leis de acordo com sua relevância, principalmente para combater a corrupção, os privilégios e o desperdício de recursos públicos.

Gustavo Franco

Foi presidente e diretor da Área Internacional do Banco Central entre 1993 e 1999. Teve participação central na formulação e operacionalização do Plano Real, bem como nos debates associados à estabilização e às reformas que se seguiram. Conduziu diretamente operações, negociações financeiras internacionais, lançamentos de bônus da República, reestruturações e aspectos regulatórios das atividades de bancos centrais. Depois de deixar o Banco Central, Gustavo fundou a Rio Bravo Investimentos, instituição líder em investimentos alternativos no Brasil.
Participa de diversos conselhos consultivos e de administração, é professor do Departamento de Economia da PUC-Rio (desde 1986), escreve regularmente para O Globo e para O Estado de São Paulo e tem quinze livros publicados. É bacharel (1979) e mestre (1982) em economia pela PUC do Rio de Janeiro e PhD (1986) pela Universidade de Harvard.

Dalton Luis Gardiman

Economista formado pela USP (FEA), com mestrado pela FGV, Dalton Gardimam é economista-chefe do Bradesco BBI, cargo que exerceu também nos bancos Credit Agricole, Credit Lyonnais, CLSA (Asia) e Deutsche Bank. No Bradesco BBI, foi também diretor de Equity & Fixed Income Research. Foi professor de Economia junto à FGV e FAAP. Compartilha o pensamento da Escola Austríaca de Economia.

Patrícia Blanco

Formada em Relações Públicas pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero, com Pós-graduação em Marketing pela ESPM. Foi durante três anos Diretora Executiva do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial - ETCO. É atualmente Presidente Executiva e do Conselho Diretor do Instituto Palavra Aberta e conselheira suplente do Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional (CCS).

Christian Lohbauer

Mestre e Doutor em Ciência Política pela Universidade de São Paulo. Foi bolsista da Fundação Konrad Adenauer na Universidade de Bonn, Alemanha, entre 1994 e 1997.
É professor de Relações Internacionais desde 1998. Foi gerente de Relações Internacionais da Federação da Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP, entre 2002 e 2005. Durante 2005 foi Secretário Adjunto de Relações Internacionais do Município de São Paulo. Entre fevereiro de 2006 e abril de 2009 foi Diretor Executivo da Associação Brasileira dos Produtores e Exportadores de Frangos (ABEF, atual ABPA).
Em maio de 2009 assumiu a presidência da Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR). Desde 2013 é Diretor de Assuntos Corporativos e Governamentais da Bayer.

Fabricio Soler

Advogado, mestre em Direito Ambiental pela PUC e MBA em Infraestrutura pela FGV. Consultor do Banco Mundial, professor de cursos de pós-graduação e organizador da obra Código dos Resíduos. Membro de conselhos empresariais de startups em tecnologia e sustentabilidade. Atualmente é sócio de Felsberg Advogados.

Diogo Costa

Diretor da Fundação Indigo de Políticas públicas, mestre em Ciência Política pela Columbia University e doutorando em Economia Política no King's College de Londres, onde ensinou Princípios de Economia. Já trabalhou com pesquisa em políticas públicas no Cato Institute e na Atlas Network em Washington, e como professor do curso de Relações Internacionais no Ibmec de Belo Horizonte. Diogo já foi premiado com Fellowships do Adam Smith Institute, do Institute for Humane Studies e do Mercatus Center. Fundador do Instituto Ordem Livre, seus artigos já apareceram em diversas publicações nacionais e internacionais, como O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, Forbes, O Globo, Newsweek e The Telegraph.

Guilherme Stein

É economista formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008), possui mestrado e doutorado em Economia pela Escola de Economia da Fundação Getúlio Vargas - SP. Foi professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul e atualmente é pesquisador da presidência da Fundação de Economia e Estatística do Rio Grande do Sul.

Bruno Oliva

Doutor e mestre em economia pela EESP-FGV, bacharel pela FEA-USP. Atualmente é pesquisador da Fipe e ministra aulas de Microecomomia na EESP-FGV. Foi economista da área de economia e direito da LCA Consultores (defesa da concorrência e regulação econômica), economista da Tendências Consultoria, consultor da UNESCO, Coordenador-Geral de Projetos Especiais de Graduação no MEC (responsável pelo ProUni e FIES), foi também professor do Insper, da FEA/PUC-SP e UniFECAP.

Paula C. Pereda

Professora Doutora do Departamento de Economia da Universidade de São Paulo desde julho de 2013. Consultora convidada do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) em 2009, 2010 e 2013. Foi Professora Titular e Coordenadora Acadêmica da Faculdade de Administração da Fundação Armando Alvares Penteado. Doutora em Ciências pela Universidade de São Paulo em 2012, e mestre em Teoria Econômica pela mesma universidade. Pesquisa temas de microeconomia aplicada e modelagem estatística e econométrica.

Bernardo Wjuniski

Economista formado pela FGV-EESP e mestre em História Econômica pela London School of Economics and Political Science (LSE). Especialista em macroeconomia, atualmente cursa doutorado pela LSE e é Diretor para a América Latina na consultoria Medley Global Advisors.

Eduardo Wurzmann

Economista pela FEA-USP com Mestrado em Finanças pela University of Illinois, é também Henry Crown Fellow pelo Aspen Institute. É co-fundador do Ibmec, do qual foi presidente por 11 anos. É membro do conselho de administração da Locameria, da Tecnisa e de startups de educação das quais também é investidor (Quero Education, Mira Educação, Descomplica). É o secretário-geral da Conib – Confederação Israelita do Brasil, membro do Conselho do Hospital Israelita Albert Einstein e do Colégio Alef-Peretz e da Associação de Amigos Brasileiros da Universidade de Tel Aviv.

Eduardo Zylberstajn

Doutor e Mestre em economia pela Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (EESP/FGV). Engenheiro de Produção pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP). É pesquisador da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) desde 2005, onde atua principalmente em projetos de pesquisa econômica e Big Data. É também professor convidado na EESP/FGV, além de consultor do Banco Mundial em projetos de seguridade e proteção social.

Lucas Novaes

Lucas M. Novaes graduou-se em economia pela FEA-USP, fez mestrado também em economia pela EESP-FGV, e é mestre e PhD em ciência política pela Universidade da California, Berkeley. Atualmente é research fellow do Instituto para Estudo Avançado de Toulouse (IAST). Sua pesquisa acadêmica mostra como partidos fracos se organizam para concorrer a eleições, e como são incapazes de estabelecer uma relação de longo prazo com o eleitor.

Priscila F. Ribeiro

Possui Mestrado e Doutorado em Economia de Empresas pela EESP-FGV (2010, 2015) e graduação em Economia - Ibmec São Paulo (2006). Analista nas áreas de modelagem de crédito do Itaú Unibanco (2010-2012) e Consultora na Fipe (2012-2014), atualmente Professora no Insper. Campos de interesse e pesquisa: aplicações em macroeconomia e microeconomia, tais como, decisão de consumo das famílias, poupança precaucionária, efeitos da inflação sobre consumo e alocação de ativos, ciclos econômicos.

Rafael Camelo

É economista, formado pela USP, com mestrado e doutorado em economia pela FGV/SP. É especialista em Economia da Educação e Avaliação de Políticas Públicas, autor de diversos artigos sobre o assunto. Tem experiência atuando no terceiro setor e no setor público. Atualmente é Diretor de Avaliação e Planejamento na Plano CDE - pesquisa, inovação, impacto - e membro do conselho consultivo do Inep/MEC.

Raone Costa

Formou-se bacharel em economia pela Universidade de São Paulo em 2005, e mestre em economia pela mesma instituição em 2008. Trabalhou de 2008 a 2014 no mercado financeiro, cobrindo economia brasileira para grandes fundos nacionais. Entre 2015 e 2016 trabalhou como pesquisador da FIPE - Fundação Instituto de Pesquisas Economicas e atualmente é doutorando em economia pela FGV-EESP.

braga nascimento e zilio advogados e associados
BRAGA NASCIMENTO E ZILIO ADVOGADOS E ASSOCIADOS

Um dos critérios utilizados pelo Ranking dos Políticos é avaliar a ficha de processos judiciais dos parlamentares. Para isso, contamos com a assessoria jurídica do escritório Braga Nascimento e Zilio Advogados Associados. Com sede em São Paulo, escritórios em Brasília, Rio de Janeiro, Goiânia e Campinas, além de representação em vários pontos do Brasil e exterior, o Braga Nascimento e Zilio Advogados Associados é composto por uma equipe de advogados, paralegais e técnicos multidisciplinares, altamente qualificada em todas as áreas do Direito (full service). Com essa parceria, nossa análise das justificativas apresentadas pelos parlamentares sobre os processos judiciais em andamento tornou-se mais qualificada.