Gostoso mesmo é bater no Temer.

Tá aí uma coisa fácil e conveniente de se fazer hoje em dia. 

Temer é odiado por boa parte da direita, odiado por boa parte da esquerda e odiado por quase todos os jornalistas. Temer representa a velha política. Quem ousar apontar alguma coisa de positivo que esse governo esteja fazendo ou tentar fazer uma reflexão mais ponderada sobre o que é importante pro Brasil é imediatamente acusado de ser vendido para o governo.

Bater no Temer é garantia de aplausos e audiência e se deixar levar pela maré. Mas o Ranking não está atrás de aplausos e audiência e sim de defender o que é bom para o Brasil. 

Lembrando que nenhum de nós do Ranking votou na chapa Dilma-Temer em 2014, mas, goste ou não, Temer é o que temos no cardápio para hoje. 

Esse governo, com todos os seus vícios e problemas de legitimidade, está caminhando na direção de três reformas das quais o Brasil precisa para sair do atoleiro: previdenciária, trabalhista, tributária. Elas mexem no calo de muita gente e, em muitos aspectos, são imperfeitas, porém são necessárias. Já vimos onde leva o caminho de um país populista, com contas estouradas e investimentos travados: recessão, inflação, desemprego e colapso social, a exemplo do que já é realidade hoje no Rio de Janeiro ou na Venezuela.

O Ranking dos Políticos não se furtará de defender a pauta que leva esse país para frente. Os amigos que não concordarem com a gente saberão que amigo você respeita mesmo quando discorda. Os inimigos barulhentos... bem... esses vão gritar contra não importa o que você faça.

A imagem pode conter: 1 pessoa, texto

Data: 14/03/2017 - Fonte: https://www.facebook.com/rankingpoliticos/photos/a.256607937790924.57371.188272077957844/12254116742

Voltar